quinta-feira, 22 de julho de 2021

15 DE JULHO

E cá estamos. Nada de surpresas. Quanto tempo dessa vez? Escutei uma música em um café com as amigas e de repente no meio de um papo casual seu nome surgiu no meu pensamento, fiquei sem graça. Juro que achei que falei em voz alta, mas era só meu corpo reagindo ao seu nome, a você. Me diz vai ser pra sempre assim? Tô meio cansada dessa roda gigante, no começo foi legal, aquela sensação de frio na barriga, e a vista valia o medo da subida. Mas agora? Tá chato, cansativo e nauseante. Sinto meu corpo lutando pra te expulsar, como se soubesse que acabou, acabamos. E mesmo com todo esforço de te deixar quieto em algum canto escuro, as vezes você aparece como quem precisa lembrar que ainda está aqui.

Sabia que nem escrevo mais? Claro que não sabe, ou sabe. Você ainda me lê? As vezes gosto de fingir que sim, pena que mesmo quando me lia não foi capaz de me traduzir, isso é o que mais me dói. Cê me teve nas mãos mesmo quando achou que meu coração era inalcançável, ele foi teu.
Meus olhos sempre foram sinceros ao dizer que amor era o que eu sentia mesmo quando meus lábios gritavam silêncio.
Quem de nós foi o mais fraco? Aliás será que foi fraqueza ou franqueza.
Sei que hoje você apareceu nos meus pensamentos e me trouxe de volta ao papel, mas já não trás alívio. Cê encontrou um jeito de me apagar? Hoje desejei ser a Clementina, mas aí lembrei que o Joe a trouxe de volta, se um dia eu te esquecer promete que me deixa ser feliz em paz na minha ignorância, jura que não tenta recuperar as nossas milhares de lembranças.

Hoje é 15 de julho, e assisti Um Dia e cheguei a conclusão que igual a Emma eu ainda te amo, só não gosto mais de você. Durante muito tempo achei que fui a errada da história, que fui infantil, que brinquei de amor, mas francamente eu tinha uma bagagem e cê só viu o meu lado feio porque não quis ficar, por baixo de todo aquele medo tinha um coração querendo amar.
Tô aqui quietinha ouvindo Rubel esperando o dia amanhecer e não lembrar do teu nome e nem de tudo que ele trás. Por hora permito que meu corpo te sinta em cada pedacinho dele.
Amanhã há de ser um novo dia.

Um comentário :

Germine aqui um pouco de amor. ♥